SEXTA | 15 DE JUNHO 2018 - 19H00

Antonio Muñoz Molina estará em Lisboa para promover a edição portuguesa, pela Ponto de Fuga, do aclamado romance, finalista da edição deste ano do Man Booker Prize. Antes, a 13 de junho, pelas 21 horas, apresentará a obra na Praça Verde da Feira do Livro de Lisboa, no dia de encerramento.

CRÍTICAS 

«Um livro incomparável.»  Salman Rushdie

«Um escritor intrépido.» New York Times

«Regressa a rigorosa transparência narrativa do autor. E o frasear calculado da escrita para indagar entre as brumas. À memória, sempre luminosamente presa entre a verdade e a ficção, junta-se agora a urgência de uma reparação crucial que não chega tarde. Alguns mistérios da vida juntam-se a esse mistério que é toda a narração.» El País

«Desde o primeiro romance, há trinta anos, é inevitável: tendo um tema, o escritor deposita nele todo o seu ser. Foi justamente assim que começou, em Lisboa, Como a Sombra que Passa.» Le Monde

«O autor demonstra com justeza o poder da literatura, do imaginário, único instrumento válido para reconstituir uma vida.» Le Magazine Littéraire

«Uma grande lição de escrita.» Livres Hebdo

 

Capa AMM Como a Sombra que PassaSOBRE O LIVRO

A 4 de abril de 1968, Martin Luther King foi assassinado. Durante o tempo que permaneceu em fuga, o seu assassino, James Earl Ray, passou dez dias em Lisboa, a tentar obter um visto para Angola. Obcecado por esse homem fascinante,
e graças à abertura recente dos arquivos do FBI sobre o caso, Antonio Muñoz Molina reconstrói o crime, a fuga e
a captura de Ray, mas sobretudo os seus passos na capital portuguesa. Lisboa é cenário e protagonista deste romance, enquanto destino de três viagens que se vão alternando na perspetiva do autor: a do fugitivo James Earl Ray em 1968, a do jovem Molina, que em 1987 partiu de Granada em busca de inspiração para O Inverno em Lisboa, livroque o consagraria, e a do escritor aclamado que tece a narrativa nos dias de hoje. Original e apaixonante,
Como a Sombra que Passa aborda, a partir da maturidade
e num registo íntimo, temas relevantes na obra de Antonio Muñoz Molina: o passado como matéria de difícil recriação, o caráter fugaz do instante, a construção da identidade e o fortuito como motor do real, que neste livro ganham forma através de uma primeira pessoa inteiramente livre que desafia perceções e se resolve no próprio processo de escrita.

 

 

 

 

Antonio Muñoz Molina 2014 Ricardo MartínSOBRE O AUTOR

Antonio Muñoz Molina nasceu em Úbeda, na província
andaluza de Jáen, em 1956. Mundialmente reconhecido como um dos maiores escritores atuais em língua espanhola, é autor de mais de uma quinzena de romances, duas recolhas de contos, além de numerosos ensaios e escritos
jornalísticos. De entre a sua obra narrativa foram
publicados em Portugal Beatus Ille (1986), O Inverno em Lisboa (1987), Beltenebros (1989), O Cavaleiro Polaco (1991), Os Mistérios de Madrid (1992), Nada do Outro Mundo (contos, 1993), O Dono do Segredo (1994), Ardor Guerreiro (1995),
Plenilúnio (1997), Carlota Fainberg (2000), Na Ausência
de Blanca (2001), Sefarad (2001) e O Vento da Lua (2006).
Duas vezes vencedor do Premio Nacional de Narrativa (1988 e 1992) e galardoado com o Premio Príncipe de Asturias
pelo conjunto da sua obra (2013), é membro da Real
Academia Española desde 1995. Vive entre Madrid
e Lisboa e é casado com a escritora Elvira Lindo.

 

 

Joomla! Hosting from