banner exposicoes

INAUGURAÇÃO |  8 DE MARÇO 2018 – 19h00

Sala Prado Coelho

colectiva 8 pcoelho marcoAna Filipa Garcia - Ilustração

O trabalho intitulado “DysAstron” apresenta um conjunto de ilustrações baseadas nos álbuns fotográficos de Ana Maria Holstein Beck, pertença do Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa. As ilustrações foram produzidas para um livro álbum com ilustrações e edição de autor.

Elena Valsecchi - Pintura

Naturezas humanas: retratos da mente / estados da alma.
http://elenavalsecchi.com
https://www.facebook.com/elena.valsecchi.art.e/
https://www.instagram.com/ele.valse/

Helena Roque - Desenho / Ilustração

Desenhar novas histórias a partir de álbuns antigos de fotografias, que vão perdendo memória.

Isabel Sofia dos Reis-Flood – Fotografia / Pintura

Direitos Humanos das Mulheres em contexto de Globalização. O caso das mulheres em Chiang Mai.
Génesis Artística: Feminismo Pós-Moderno; Emancipação e igualdade de género; Globalização; Feminização do trabalho; Dualidade discursiva; Metamorfose; Imortalidade; Sentidos 

Jacqueline Guedj – Azulejaria

...Revisitei um dos ícones da Arte Portuguesa e recriei novas memórias para atingir a vontade da osmose.
Dando vida aos matérias em harmonia com os elementos : terra, água e fogo.

Margarida Marcelino – Joalharia bordada Celta

No misticismo da natureza me inspiro, criando peças de beleza e encanto que invocam tempos idos. A magia do povo Celta, é revivida em bordados com linhas que relembram os materiais preciosos como o ouro, a prata e o bronze dos seus artefactos. Tocando o inefável com as mãos, bordo lendas, deuses e mitos.
https://facebook.com/theharpersgarden.com

Sofia Freire D'Andrade - Instalação/Performance

Corpo; questionar; confrontar; fragmentar; explorar; desmultiplicar; ocultar; desocultar; reformar!
Estas são as premissas do meu trabalho autobiográfico/biográfico.
Memória, tempo, intimidade e identidade parcialmente reveladas através da Performance e Instalação.
https://www.facebook.com/SofiaFreireAndrade/

Susana Dias - Pintura

Sobre a condicao humana e sobretudo feminina representada pelo mito de Diana. Exercicio auto-referencial que utiliza como cenario uma das suas muitas reprensentacoes na historia da arte ( neste caso " o banho de Diana" de Boucher) e que, numa clara transgressao da cena representada, pretende ilustrar o eterno dilema do mito de Diana. A escolha entre o que realmente somos e o que de nos se espera.
https://susanadiasart.weebly.com/

Joomla! Hosting from