O QUE É NOTÍCIA

Finalmente... a Escola de Música da Fábrica Braço de Prata

Finalmente chegou!

logo escolaFBPHá vários anos que as muitas dezenas de músicos de Jazz que tocam regularmente na Fábrica do Braço de Prata nos têm mostrado a urgência em criar aqui uma Escola de Música. As várias salas de concerto de que dispomos, todas elas equipadas com material de som e luz, e muitas delas com pianos de concerto, a existência de um bar de apoio aos pais e alunos, um parque de estacionamento exterior com capacidade para quase uma centena de viaturas, tudo isto faz da Fábrica o lugar perfeito para a criação de uma grande instituição de ensino musical.

Continuar...

Valeu mesmo a pena ter segurado esta aventura durante 10 anos.

10 ANOS FBP2 web

Valeu a pena. Sim. Valeu mesmo a pena ter segurado esta aventura durante 10 anos.

Desde 2007 a Fábrica do Braço de Prata criou tais raízes no mapa da cidade que se tornou parte da paisagem. Por isso a Câmara Municipal de Lisboa decidiu proteger para sempre este enclave de concertos, exposições, livros, debates, bailes, comidas e bebidas. Nos próximos séculos, entre o Parque das Nações e Santa Apolónia, rodeado de edifícios de luxo acabados de construir, o edifício da administração da antiga fábrica de armas permanecerá de pé. Será algo entre um farol esquecido, um navio encalhado e um museu aberto até de madrugada.

Continuar...

Prémio Espinosa em breve na Cidade de Lisboa

nuno elpaisHá menos de um mês, Nuno Nabais, fundador da Fábrica Braço de Prata, foi convidado, enquanto deputado suplente pelo movimento Cidadãos por Lisboa, a apresentar na Assembleia Municipal de Lisboa, uma comunicação, em forma de "Declaração Política", sobre linhas orientadoras para o pelouro da cultura na cidade de Lisboa.

Desta comunicação, apresentada parcialmente no dia 2 de Maio, e proposta da Dirigente do Movimento Cidadãos por Lisboa, a Arq. Helena Roseta, saíu uma moção com duas propostas que foram aprovadas na Assembleia Municipal, na sessão de 9 de Maio, por unanimidade. A primeira será a criação do Prémio Espinosa, a atribuir anualmente a qualquer pessoa (individual ou colectiva) cujo trabalho - tanto no plano teórico como no plano prático - tenha contribuído para aprofundar a nossa compreensão da condição de refugiado. A segunda é o pedido, a apresentar à Assembleia da República, de edificação de um cenotáfio (que significa "túmulo vazio" em grego) em nome de Bento Espinosa (1632/1677) no Panteão Nacional. 

Aqui fica o texto integral da Declaração Política. 

Continuar...

Joomla! Hosting from